“Estamos todos no estado em que sentiremos profundamente a transcendência agora.

A Velha Dualidade não está mais nos servindo: o Eles e Nós, Eu e Você.

O desejo de consertar os outros, porque o que vemos neles, está refletindo de volta para nós, e tudo o que não amamos nem possuímos dentro de nós mesmos. Pois cada alma é apenas um espelho para você. E isso se aplica a toda a humanidade, pois antes de encarnar, você foi informado sobre o fato de que cada característica humana que está representada na Terra, de uma forma ou de outra, também está dentro de você. Porquê? Porque você não pode ser separado do todo.

O que você percebe como sombra está dentro de você.

O que você percebe como luz está dentro de você.

Muitas vezes, nos relacionamentos, atraímos para nós aqueles parceiros que refletem nossa própria fragilidade aparente de volta para nós. Portanto, sempre houve a tendência de querer consertá-los, endireitá-los, o que de fato foi inútil!

Você não pode consertar outra pessoa, nem pode endireitá-la, nem pode mudar nem mesmo um fio de cabelo em seus corpos, nem o que quer que ela esteja refletindo de volta para você.

Você só pode consertar a si mesmo, mudar a si mesmo e, de fato, reconhecer as lições que elas trazem, reconhecendo a sombra dentro de você, bem como a luz. Você é os dois!

A dualidade nos trouxe imensas lições de maestria para a alma.

Isso nos ensinou que quanto mais queríamos criar paz, mais criávamos guerras, dentro e for a. Você não pode criar paz se estiver em guerra consigo mesmo – e com seu próprio círculo familiar imediato. Pois o que está dentro de você, refletirá for a de você. Você só pode criar paz, ou atrair paz, se estiver em paz consigo mesmo!

A verdade é que todos temos sombra e luz dentro de nós.

Agora estamos no processo em que todos estamos sendo desafiados a abraçar essa sombra, tanto quanto estamos abraçando a luz. Pois na verdade eles se equilibram. Na verdade, a dualidade só pode existir, se dermos ENERGIA para ela, se a alimentarmos!

Pois a consciência da dualidade gera separação!

A consciência da unidade, na verdade, é amor incondicional. Abrange tanto a sombra quanto a luz e, portanto, não pode mais julgar. De fato, sabe que a sombra desempenha um papel, tanto quanto a luz. Portanto, o ventre da mãe é escuro. No entanto, nesta mesma escuridão, a semente tem sua gestação e cria uma nova vida e novos começos.

A escuridão serve tanto quanto a luz.

Há um belo desdobramento aqui.

Quanto mais transcendemos, mais conscientes nos tornamos dos espelhos.

Quanto mais conscientes nos tornamos de nossa própria alma interior, e do que estamos criando e manifestando dentro de nós mesmos, o que está refletindo de volta para nós do lado de for a.

O mestre, de fato, é tão realizado e equilibrado dentro de si mesmo, que tudo o que é refletido é imediatamente reconhecido, trabalhado e transcendido.

Eu acrescentaria, transmutado. Pois a energia da raiva, por exemplo, através do poder do verdadeiro perdão e da graça amorosa, é transmutada em alegria e amor. Assim, muda de forma. A raiva não é negada. De fato, é reconhecida e agradecida pelo que está refletindo de volta para si mesmo, e então a pergunta é feita: “Onde estou com raiva? Onde estou segurando a raiva (que pode não ser expressa abertamente, mas reprimida até que um dia ferva e transborde?). O que preciso perdoar dentro de mim e dos outros? Onde não estou negando minha própria sombra, porque tenho muito medo de olhar profundamente para a ferida?”

Muitas vezes apontamos o dedo para aqueles que travam guerras – mas não é que a guerra está tão frequentemente acontecendo dentro de você e está refletindo em seus relacionamentos? Não é que muitas vezes dizemos coisas aos mais próximos e queridos de nós, que nunca ousamos dizer a um estranho, ou mesmo àqueles com quem e para quem trabalhamos?

Novamente, você não pode criar paz se tudo estiver em guerra dentro de você! É por isso que a humanidade falhou repetidas vezes em criar paz artificial.

Existem lições profundas e profundas na maestria mais elevada alinhadas aqui para todos nós.

Quando o 3D surgir para desafiá-lo, vá fundo e pergunte a si mesmo: porquê?

Então vá fundo na Câmara de seu próprio Coração e Alma Sagrados, e então vá e dissolva essas cargas, resolva o que quer que surja. Vá e sente-se com essa sombra e pergunte: “O que você está refletindo para mim? Por que estou negando você? O que você está tentando me ensinar? Como posso amar você?”

E você descobrirá que a sombra mais profunda, uma vez resolvida, dissolvida e amada na transcendência, abre os holofotes do Céu para você experimentar uma Luz ainda maior e mais do que este amor incondicional!

O coração se abre: “Obrigado! Eu te amo!”

“EU SOU AMOR e SOU AMANDO!

EU SOU AMOR DIVINO E DOU AMOR!”

Transcendência significa que sou amor, vejo e sinto apenas amor! Eu sou Equilibrado! Estou em paz! Eu estou livre!

Estamos todos sendo libertos para ser simplesmente nosso verdadeiro Eu da Alma e viver nossa Verdade da Alma com amor incondicional.

Da maneira mais elevada e melhor, para o bem maior de todos.”

(Trecho do meu curso “A Chama Branca da Iluminação” Nível IV)

Canal: Judith Kusel
Fonte primária: https://www.judithkusel.com/   
Fonte secundária: https://eraoflight.com/2023/04/19/transcendence/
Tradução: Sementes das Estrelas / Raquel Santos

Fonte Postagem Sementes das Estrelas

54 Views