São aquelas Almas voluntárias e Pioneiras que nasceram no final da II Guerra Mundial, na missão de mudar os paradigmas da existência na Terra, experimentando e testemunhando o que havia de pior e do melhor na humanidade.

Muitas ficaram famosas como líderes, como escritores ou nas Artes, outras se movimentaram anonimamente em suas comunidades, em suas famílias, entre os amigos, ousadamente agindo conforme os padrões que moldavam o Novo Tempo.

Seguiam uma Jornada, às vezes cinza e dolorosa, mas com a sensação de que um arco-íris se formaria no final do Caminho.

A bússola era guiada pela voz interior, contornando os limites da “caixa” em que os condicionamentos sociais forçosamente queriam colocá-las..

Muitas seguiram suas vidas fingindo teimosamente que obedeciam porém, sabendo que havia uma outra Realidade de existência ainda com o acesso bloqueado.

O movimento hippie trouxe a explosão de um tsunami de pensamentos de liberdade para levar a vida com Paz, sem mais guerras, e Amor à Natureza, refletindo contra a poluição e escassez de recursos, bradando sem violência contra a conquista de “status e dinheiro”, âncoras da voraz sociedade de consumo.

Previam a destruição que isso acarretaria..

Foi a geração educada conforme princípios do século 19, mas que acompanhou o desenvolvimento da tecnologia da informação “global” para divulgar seu propósito na Grande Obra.

É a minha geração. Estamos partindo, depois de cumprir o nosso papel como Mostradores do Caminho. Restauramos nossas Asas.

Agora, cada nova Semente deve florescer a Consciência Superior diante do poder oculto que governa o mundo.

Depende Delas o triunfo na batalha espiritual sobre a Terra..

Vilma Capuano

57 Views