De acordo com estudo publicado no Journal of the American Society of Nephrology (JASN) em 2018, o uso de antibiótico oral é um sério fator de risco para doenças inflamatória do intestino, pela associação ao uso de antibióticos, o que é causado por desequilíbrio do microbioma intestinal.

Mais recentemente, em Maio de 2022, um outro estudo apresentado na conferência Digestive Disease Week, novamente associou o uso de antibiótico oral à doença inflamatória do intestino.

Nesta avaliação, foram analisados 2,3 milhões de adultos entre 60 e 90 anos.

Concluiu-se que o uso de antibióticos estava associado a 64% de aumento de risco de desenvolver doença inflamatória do cólon, o que aumentava; com repetições de uso. Esse valor tem como referência um grupo controle que não tomou antibiótico por 5 anos.

Veja o quanto aumenta por cada novo ciclo de antibiótico: e a incidência de risco para doença inflamatória intestinal (IBD):

– 1 ciclo de antibiótico – 27% de aumento

– 2 ciclos de antibióticos – 55% de aumento

– 3 ciclos de antibióticos – 67% de aumento

– 4 ciclos de antibióticos – 96% de aumento

– 5 ciclos ou mais de antibióticos – 236% de aumento

Todas as doses de antibióticos estavam correlacionados com esse risco, mas as de maior gravidade eram as fluoroquinolonas (Cipro, Levaquim).

Antibióticos e Câncer Coloretal

O uso de antibióticos também estão correlacionados com o aumento de risco de câncer coloretal, de acordo com o Live Science em 2014:

“… os pesquisadores analisaram os registros médicos de mais de 22.000 pacientes com câncer colorretal no Reino Unido e os acompanharam por uma média de seis anos … Os pesquisadores compararam a quantidade de antibióticos que os pacientes haviam tomado pelo menos seis meses antes diagnóstico de câncer, à quantidade de antibióticos tomados por um grupo de cerca de 86.000 pessoas saudáveis.

Depois de controlar fatores de risco conhecidos para câncer colorretal – incluindo obesidade, diabetes, tabagismo e consumo de álcool – os resultados mostraram que pessoas que tomaram antibióticos, incluindo penicilinas, quinolonas e metronidazol, tinham 8% a 11% mais chances de desenvolver câncer colorretal. .possivelmente através dos efeitos da droga nas bactérias do cólon…”

Mas as evidências não param por aí, pois em 2016, outro estudo mostra novamente esse risco.

Já em 2017, nova pesquisa mostrou que usar antibiótico por 2 meses ou mais, aumenta o risco de desenvolver pólipos no cólon, considerado precursor de câncer coloretal.

Esse uso, pelo mesmo 2 meses na faixa etária de 20 a 30 anos, aumenta o risco de 36%.

Já na faixa etária de 40 a 50 anos, esse risco chega a 69%.

Disbiose e Antibióticos: Doenças crônicas

O excesso de uso de antibióticos, acaba comprometendo a diversidade da microbiota intestinal, induzindo a disbiose.

Como consequência, há uma maior predisposição de doenças crônicas. Portanto, só use antibióticos se realmente for necessário. E mesmo assim, procure nutrir a sua ecologia intestinal com alimentos fermentados, suplementos prebioticos e probioticos.

Estratégia de proteção do microbioma

Enfatize:

– alimentos fermentados: Lassi, Kefir, Natto e vegetais fermentados

– Suplemento probiótico: caso não esteja consumindo alimentos fermentados regularmente, é importante essa suplementação probiotica.

– Alimentos prebioticos: consumir vegetais ou suplementos ricos em fibras solúveis e insolúveis.

– Aumente o contato com a natureza, andando descalço na grama, fazendo jardinagem com as mãos diretamente na terra, assim você se expõe à bactérias do solo, que fortalecem o seu sistema imunológico.

– Maior exposição ao ar livre, e não só em ambientes fechados.

– Procure abrir mais as suas janelas para ter maior contato com os micróbios do ambiente externo, que elevam a sua saúde.

Referências bibliográficas:

– JASN. June 2018; 29(6): 1731-1740

– JASN. June 2018; 29(6): 1731-1740, Conclusion

– NBC News. July 8, 2023

– University of Minnesota, Center for Infectious Disease Research and Policy May 13, 2022

– EurekAlert! May 13, 2022

– Live Science. June 3, 2014

– Dig Dis Sci. 2016 Jan;61(1):255-264

– Gut. April 4, 2017; 67(4): 672-678

www.drrondo.com/probioticos-podem-ser-a-resposta-para-sua-doenca-inflamatoria-intestinal/

www.drrondo.com/blindando-a-sua-imunidade-de-forma-100-natural/

www.drrondo.com/kefir/

23 Views